• Genival Nunes Consultoria Ambiental

A natureza democrática


A natureza se mantem viva graças ao aparente antagonismo das coisas Apenas aparente mesmo, pois o sim e o não fazem parte da mesma assertiva. O princípio do equilíbrio homeostático é, perder para ganhar e isso se processa em todos os momentos da nossa existência; estamos sempre dando a volta por cima de nossas perdas na certeza da recompensa que virá algum dia.

Nos seres aeróbicos de sangue quente, por exemplo, a temperatura é mantida constante graças a circulação do sangue percorrendo os labirintos de vasos maiores até os apertados e permeáveis capilares, onde enfim se estabelece as trocas gasosas.

É preciso perder oxigênio e acidificar o sangue com CO2 para então estimular os músculos respiratórios e assim absorver novamente oxigênio. A fome que tanto nos provoca é uma reação a nossa necessidade de repor os nutrientes perdidos durante o dia. No plano mental temos as nossas pulsões e desejos que satisfazem nossas instancias psíquicas e, se não recompensamos surgem nossas frustrações e marcas no EU.

O conteúdo manifesto de minha fala, ou da sua, só tem significado se reverberar em alguém que concorda ou discorda, mesmo que veementemente. Assim também é a democracia que para sobreviver precisa oxigenar-se, nutrir-se no contraditório.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo